quarta-feira, agosto 17, 2011


Instruções

 
Venha cá, venha

Sem nenhum medo

Não se abstenha

Caia sobre mim

Me engula

Me lamba daqui ao fim

Venha cá, mansinha

Roce, se enrosque

Eu, teu. Tu, minha

Venha, sem barulhar

Sem ser afoita

Sem dominar

Apenas venha, venha

Que o dia  é longo

E a vontade ferrenha.

terça-feira, agosto 16, 2011

Boa Vista no Google Maps

Quem não conhece parte da história deste blog, que já completou sete anos e um dos mais antigos de Roraima em atividade, tem a chance (Ok, exagerei, parece algo fantástico me ler) de rever dois textos antigos meus lincados no Google Maps como parte da ação #RotaFEL.

Os dois falam de calor, Boa Vista e comportamento. Bem Crônicas da Fronteira, né?

A #RotaFEL é uma compilação de produções literárias com temática e gêneros textuais livres, mas um plano de fundo comum: a narrativa deve ter como cenário a cidade do autor. Depois de produzidos os textos são linkados no google maps, formando um percurso virtual, conectando os autores como se fosse uma viagem.

A compilação de textos da #RotaFEL é feita pelo Fora do Eixo Letras.  O link para a mapa literário é este AQUI.
Política e gestão cultural na II Semana de Artes Visuais da UFRR
 
O curso e o centro acadêmico de Artes Visuais da UFRR realizaram na semana passada, de 8 a 12 de agosto, a II Arte Calourosa e o Seminário Arte,Pensamento e Cidade. Participei, representando o Coletivo Arteliteratura Caimbé, das atividades no dia 11, integrando uma mesa redonda que discutiu Política e Gestão Cultural. Além de mim, estiveram na mesa Flávia Bezerra, técnica do Iphan, e Manoel Vilas Boas, vocalista da banda Mr. Jungle e integrante do Coletivo Canoa Cultural. 





Foi uma mesa bacana. Acredito que todos falamos bem. O mais importante é que estimulamos a turma a se organizar para realizar seus sonhos e a cobrar sempre ações concretas do poder público na implantação de políticas culturais. Afinal, como disse, o poder público, seja governo estadual ou prefeitura, adora ser esquecido na hora das reivindicações. Quando mais quieto deixarem, melhor para quem comanda, pior para quem labuta na área e precisa de iniciativas que facilitem a nossa vida.


No final, recebi uma boa notícia para quem gosta de escrever: no ano que vem a Universidade Federal de Roraima realizará um concurso de literatura ainda no primeiro semestre, focado em alunos e ex-alunos.

Ah! As fotos são de Pablo Filippe, do núcleo de comunicação do Canoa Cultural.

quinta-feira, agosto 11, 2011

Microcontos no Chile



Outra boa notícia pessoal nesta semana foi a publicação de um microconto no blog da revista chilena El 6A – Arte Independiente.

O texto chama-se “Ilusão” e será o primeiro em língua portuguesa da história da iniciativa literária que mistura poesia gráfica, resenhas e outras linhas.

Agora posso dizer que publiquei micronarrativas em dois países: Portugal e Chile. Ou seja, praticamente um escritor de dois continentes.

O conto “Ilusão” pode ser conferido clicando AQUI, Ô.

 A revista mesmo saí apenas em setembro. Parece que tem um fotopoema selecionado também.
Meus poemas no OrFEL #1

Olha aí duas pequenas poesias minhas na edição # 1 do OrFEL, fanzine da galera do Fora do Eixo Letras. Além de mim, outros 10 autores estão na publicação, que foi ilustrada por gente de vários lugares do País.

A versão para impressão pode ser baixada neste link do archive.org.

Coletivos e Festivais de todo o país podem disponibilizar o fanzine em seus blogs, sites, festivais e qualquer lugar onde houver alguém com tempo para ler.

Agora vai aí nas páginas da região Norte e confere a versão para leitura digital de OrFEL #01:



Rumo ao Amapá, fazer uma Pororoca Cultural no rio Macacoari

Promover entre os ribeirinhos do Amapá o prazer da leitura de forma lúdica e expor diversas manifestações artísticas. Com este objetivo, arte- educadores do Movimento NossaCasa de Cultura e Cidadania estarão entre os dias 25 de agosto e 2 de setembro realizando uma verdadeira Pororoca Cultural no Rio Macacoari.

Para essa mochilada pelas comunidades São Tomé, Igarapé dos Porcos,Foz do Rio Macacoari e Carmo do Macacoari, todas no município de Itaubal (AP), a turma da NossaCasa convidou o Coletivo Arteliteratura Caimbé, de Roraima, que será representado por este que vos escreve singelamente.

Literatura que faz o mundo ficar pequeno

Minha função é simples: compartilhar um pouco da literatura roraimense com os ribeirinhos e dar continuidade ao projeto Caminhada Arteliteratura.

Já articulamos as atividades da Pororoca: muita poesia; incentivo à leitura dos gibis doados na campanha de arrecadação feita pela NossaCasa; contação de histórias pelos mestres das comunidades; artReciclagem; exibição de filmes educativos; brincadeiras com o Palhaço Ribeirinho; exercício de comunicação livre, com a Rádia Megafônica NossaCasa; oficina de fotografia e rodas de conversa sobre editais do Programa Mais Cultura do Ministério da Cultura - MinC.

Este índio vai levar as poesias da mostra de fotos e poemas da série “Curt@s histórias e poesias” e fará oficinas de criação literária. Também selecionei textos gravados de diversos autores para fazer uma mostra poética com os ribeirinhos. A intenção é ampliar os horizontes literários da turma. Vamos ver no que vai dar.


Atividades da NossaCasa



A realização desta Pororoca Cultural é um das atividades do projeto Mochileiro Tuxaua Cultura Viva - Do Oiapoque ao Chuí, idealizado pelo arte-educador Jonas Banhos, gente boa premiado pelo Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Cidadania Cultural, com o Prêmio Tuxaua Cultura Viva 2010. Esta foi a única iniciativa do Amapá selecionada pelo Ministério da Cultura, que contemplou 44 projetos de outros estados neste prêmio. Para conhecer mais sobre o projeto, acesse o blog Mochileiro Tuxaua.

Jonas esteve em Roraima a convite meu e do Coletivo Arteliteratura Caimbé em maio deste ano, quando estávamos realizando as atividades do projeto Caminhada Arteliteratura ainda com o financiamento da Funarte.

O nosso compromisso com a Funarte venceu, mas decidimos que toda atividade fora de Boa Vista terá a rubrica Caminhada Arteliteratura.

NossaCasa - O Movimento NossaCasa de Cultura e Cidadania nasceu em 2008, em Macapá(AP), com o objetivo de contribuir para a formação do novo cidadão. Seu foco principal é democratizar o acesso ao livro, à literatura e à leitura, sobretudo para as comunidades tradicionais/originárias da Amazônia, sejam elas ribeirinhas, de agricultores, extrativistas, quilombolas, assentados da reforma agrária, pescadores e/ou indígenas.

O Movimento NossaCasa é formado por arte-educadores populares, voluntários, com origens na zona rural,que mochilam pelas comunidades montando equipamentos culturais (bibliotecas comunitárias, telecentro, cinceclube, brinquedoteca) e realizando rodas de leitura utilizando-se de diversas artes para atrair novos e velhos leitores. 

Já serviram de palco para suas intervenções: pontes, centros comunitários, casas de moradores,Igrejas, comunidades ribeirinhas, paradas de ônibus, praças públicas, Feiras de Livro, Escolas, Universidades, Encontros e Conferências de Cultura e Comunicação, nos Estados do Amapá, Pará, Roraima, Piauí, Ceará, Distrito Federal e Goiás. As atividades podem ser conferidas no blog da turma.

Agora, se o barco virar no meio do rio, já era. Sou o único índio de Roraima que não sabe nadar. Aliás, essa história de natação me lembra a consulta que tive com o médico neuro alguma coisa para ver o estado de minha coluna cervical. Ele disse que tudo ficaria bem apenas fazendo natação. Simples...