sexta-feira, dezembro 31, 2010

Mike Guy-bras e Lionela - Redemption Song Bob Marley


Mike Guy-bras é um cantor guianense radicado em Boa Vista, Roraima, onde lidera uma banda chamada Guy-Bras. Já se apresentou em diversos estados do Brasil. Lionela é a sua filha, que sempre o acompanhou em suas apresentações e agora também assume os vocais nos shows.
A gravação foi feita no aniversário de 41 anos de Mike, na Casa Cultural do Coletivo Arteliteratura Caimbé

terça-feira, dezembro 28, 2010

Oyendo y viendo cosas de Venezuela


Tem um blog muito legal feito por uns venezuelanos só para lembrar de coisas do tempo que todos éramos moleques, o "chamos", termo usado para designar pirralhos e outros caras. O blog, muito apropriadamente, tem o nome de "Cuando era chamo - echándolo un vistazo a nuestro pasado".
Peguei de lá links do Youtube para duas músicas que até hoje embalam a turma do outro lado da fronteira e já me acompanharam muito na minha infância em Guasipati. As explicações sobre cada canção e as letras, para quem souber espanhol/castellano estão lá.


Mi Burrito Sabanero, por Juanes



E Sin Rencor, por el Gran Coquivacoa

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Leituras: Karina Rabinovitz 


Livro do quase invisível
P55 Edições
Poesia
Leituras: Eliakin Rufino





Haikai
Cromos Editora Artesanal
Poesia
Leituras: Nilton Bobato
 
 Um brinde a três amigos
Suliani Letras & Vida Editora
Poesia
Leituras: Laerte





Hugo para principiantes
Devir Livraria
Histórias em quadrinhos
P.S.: já entrevistei o Laerte. Por e-mail, no distante ano de 1998.
Leituras: Leo Cunha 


Vendo Poesia
Editora FTD
Poesia visual

quarta-feira, dezembro 22, 2010

Artistas promovem ato público contra o abandono da Casa de Cultura de Roraima



Estaremos lá com a nossa exposição de fotopoemas.
 
Matéria do site da Folha de Boa Vista
 
 

O prédio da Casa de Cultura está interditado pela Defesa Civil

Com o objetivo de sensibilizar o poder público para a necessidade urgente de restauração e revitalização da Casa da Cultura Madre Leotávia Zoller, localizada no Centro, da Casa do Estudante em Manaus e da Casa do Estudante em Belém (PA), o Fórum Permanente de Cultura de Roraima fará amanhã, às 16h, um ato público em frente à Casa da Cultura.

A decisão foi tomada após discussão da atual situação dos prédios, em reunião realizada no dia 14 de dezembro, onde estiveram presentes representantes do fórum, que é formado por diversas áreas artísticas e culturais de Roraima.

Durante a manifestação, os artistas vão colher assinaturas para um abaixo assinado que será entregue ao governo do estado e também para a Assembleia Legislativa, junto com a carta aberta “em favor do patrimônio cultural de Roraima”. 

Os artistas e simpatizantes da cultura reivindicarão por agilidade entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário no que se refere aos procedimentos necessários para a salvaguarda dos bens culturais de Roraima; tombamento das Casas do Estudante em Manaus e em Belém como patrimônio histórico do Estado de Roraima.

Além disso, sugerem que os três prédios sejam transformados nas Casas de Cultura de Roraima, espaços destinados a comercializar arte e artesanato, promover shows e eventos artísticos, exposições e debates, cinema e fotografia, mostras culinárias, disponibilizar informações e roteiros turísticos, além de servir de local de hospedagem para produtores e mediadores culturais em turnê.

“Queremos que novas utilidades sejam dadas as casas. Por isso sugerimos que se transformem em Casas de Cultura”, comentou uma das integrantes do fórum, Mônica Padilha.

A carta aberta explica que “o motivo que conduziu a discussão refere-se ao flagrante estado de abandono, deterioração e a falta de função e uso das referidas casas”. Conforme Mônica, o desinteresse do estado em relação aos prédios tornou-se algo visível para toda a população. “Sejam pessoas do meio cultural ou não, podem ver a situação que se encontra a Casa da Cultura, já que fica localizada em uma das principais vias de Boa Vista, a avenida Jaime Brasil”, disse.

“O fechamento da Casa da Cultura Madre Leotávia Zoller, interditada pela Defesa Civil, e a subutilização e desvirtuamento das Casas do Estudante em Manaus e em Belém foram o mote para a decisão de pedir engajamento da sociedade roraimense em prol da restauração desses patrimônios culturais, buscando sensibilizar o poder público para a urgente necessidade da adoção de atitudes proativas que garantam a salvaguarda desses bens de relevante importância histórica e cultural para Roraima”, diz a carta. (N.S)


Prédio histórico está interditado desde junho

A Casa da Cultura Madre Leotávia Zoller, situada na esquina das avenidas Jaime Brasil e Sebastião Diniz, tombada por intermédio dos decretos 722 e 723/1994, está fechada desde o mês de junho, pois a estrutura estava pondo em risco a vida das pessoas que procuravam o local para fazer pesquisas e os funcionários. 

O acervo foi transferido para o Conselho Estadual de Educação de Roraima, localizado na avenida Santos Dumont, bairro São Francisco. A Casa de Cultura é um espaço público onde se concentrava grande parte do material histórico de Roraima, como jornais, livros, fotos, fitas, documentos, quadros artísticos e de homenagem, sendo utilizado por muitos estudantes e pesquisadores que frequentavam o local diariamente.

Mas, conforme a gerente do Núcleo de Patrimônio Histórico, Meire Saraiva, a quantidade de pessoas que procuravam a Casa para fazer pesquisa diminuiu. “Muitas das pessoas, principalmente estudantes, não sabem que as pesquisas podem ser feitas aqui no prédio do Conselho Estadual, por isso não estão fazendo as pesquisas. Antes tinha dia que mais de trinta alunos faziam pesquisas”, relatou Meire.

A Folha foi à Casa da Cultura na manhã de ontem e constou que o prédio encontra-se comprometido, colocando em risco as pessoas que passam pela calçada da avenida Jaime Brasil. Entre os problemas no prédio estão às infiltrações, forro solto, mofo, cupins e desgaste do piso. 

No local, o funcionário de serviços gerais estava fazendo a limpeza do jardim. Ele disse que vai à Casa da Cultura todas as segundas e terças-feiras. Do lado de fora do prédio permanecem três aparelhos de ar-condicionado.

MPE - No dia 12 de abril deste ano o Ministério Público Estadual (MPE), protocolou ação civil pública contra o Estado de Roraima para obrigá-lo a reformar a Casa de Cultura Madre Leotávia Zoller, por descumprimento da legislação estadual no que tange à conservação de patrimônio cultural devidamente tombado como “patrimônio cultural dos roraimenses”.

Em setembro de 2009 chegou ao conhecimento do MPE uma reclamação noticiando que a Casa da Cultura estava com suas instalações deterioradas, devido à falta de manutenção. A informação foi confirmada pelo oficial de diligência do Ministério Público, constando que “o prédio encontra-se em situação de até uma possível interdição”. (N.S)

quarta-feira, dezembro 15, 2010

Projeto Poéticas Urbanas # 1

O vídeo é a primeira ação do projeto Poéticas Urbanas, criado por mim e a minha empresa de brincadeira real DaBaixada Produções para propor reflexões lúdicas sobre a cidade e a literatura. 

Foi selecionado para a II Mostra Sesc Roraima de Curtas, realizada nos dias 10 e 11 dezembro de 2010 aqui em Boa Vista.



sábado, dezembro 11, 2010

#Versificados de novembro

Aos poucos, vamos reatualizando o blog, conforme a dor nas mãos permite. Agora, versos publicados nos classificados do jornal Roraima Hoje no dia 3 de dezembro, em mais uma leva de #Versificados, a terceira em Boa Vista.
Desta vez, comigo, Zanny Adairalba, Marcelo Perez e Roberto Mibielli.




Clique para ampliar.

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Outro prêmio, desta vez de jornalismo

Nem sempre se ganha o prêmio máximo, né...afinal, jurado é caixinha de surpresas. As notas são da coluna social da Folha de Boa Vista,  no dia 29 de novembro. A matéria que fiz,  para quem tiver alguma curiosidade, é esta.


Hoje* A Câmara Municipal de Boa Vista completa 41 anos nesta terça-feira, quando realiza sessão solene de premiação dos professores vencedores do Concurso de Redação e dos jornalistas que participaram do Prêmio de Jornalismo, alusivos à data.
* A imprensa local concorreu ao Prêmio de Jornalismo nas categorias: Impresso, Web, Rádio e TV.

Impresso
* O primeiro lugar na categoria Impresso foi para a Folha, com a reportagem “Cidadania Fiscal - Futuro de Boa Vista depende de modernização tributária”, da jornalista Élissan Paula Rodrigues.
* O segundo lugar do Impresso ficou com o jornalista Aroldo Pinheiro (Roraima Hoje) e o terceiro lugar foi também para a Folha, com a matéria “Vereador, o elo entre o povo e o poder”, da jornalista Andrezza Trajano.

Deu Folha
* Na categoria Web também deu Folha, com o 1º lugar para o trabalho “Câmara 41 anos - Melhorias de vias públicas são campeãs de indicações”, da jornalista Vaneza Targino, da Folha Web, e o 2º lugar para “Educar é o melhor remédio para Prevenir”, de Edgar Borges.
* Em Rádio, o primeiro lugar foi para Sônia Lúcia Pinto, da Rádio Roraima, e o 2º e 3º lugares também foram para o Grupo Folha, com as matérias “Câmara e Comunidade” e “Voto e Cidadania”, ambas de Ricardo Gomes, da Rádio Folha – AM 1020.

sábado, novembro 20, 2010

quinta-feira, novembro 11, 2010

Resultado do Prêmio Sesc de Literatura 2010
 
Edgar Borges, ou seja, eu: primeiro lugar na categoria poesia livre e segundo lugar na categoria conto livre.
Abaixo, imagens da feira e da premiação:
 



Com a poeta Zanny Adairalba e o cordelista Beto Brito

Livreiro Antonio Bentes e o cordelista Beto Brito. Na  minha mão, a coletânea com os contos e poemas classificados

Gente boníssima: Felipo "porrrrrrta" Abreu

Uma das premiações foi entregue pela escritora Marina  Colasanti

Turma premiada

Poetas Aldair e Otaniel

Livreiro Antônio Bentes, Jornalista Janini Marques e o chapa da Janini


quinta-feira, novembro 04, 2010

Que me perdoem os metidos a sérios, mas ironia é fundamental

E a auto-ironia ainda mais...


Divulgados os selecionados no Prêmio Sesc Roraima de Literatura 2010 



O prêmio contou com inscrição de 176 trabalhos em nas categorias Poesia Livre, Conto Livre, Poesia Ensino Médio e Poesia Ensino Fundamental, sendo que os  três trabalhos selecionados em cada categoria serão publicados em uma obra denominada Coletânea de Poesia e Conto. Prêmio de Literatura Sesc-RR 2010.

As escolhas foram realizadas por uma Comissão de profissionais convidados pelo Sesc que durante quase um mês avaliaram todos os trabalhos inscritos. A Comissão foi composta pelo professor, escritor e músico Airton Vieira, professor Roberto Mibielli e o escritor e colunista Afonso Rodrigues de Oliveira

O Gerente de Cultura do Sesc, Francisco Pinheiro, salientou que todos os classificados que estão sendo divulgados terão seus trabalhos publicados na coletânea, entretanto o resultado final com a ordem de classificação só será divulgada no dia 10 de novembro, durante uma cerimônia de premiação e lançamento da publicação, na XX Feira de Livros do Sesc.

Os autores que tiverem suas obras publicadas na Coletânea receberão placas alusivas e certificação e cada um receberá 15 exemplares da Coletânea publicada, e ainda,  as escolas que tiverem alunos com trabalhos selecionados para publicação receberão placas e certificações.
Confira a lista dos classificados

Akira Matsushita - A Flauta (conto)

Aldair Ribeiro dos Santos - Solidor (poesia)

Ana Karolyne Martins Silva - Digo que te amo (poesia)

Bruna Benedetti Valério - A Família (poesia)

Caroline Rafaela Ghedin Ribeiro - 03h03min (conto)

Edgar Jesus Figueira Borges - O Bicho (conto) 

Edgar Jesus Figueira Borges - Liminar (poesia)

Elizângela Roque Souza - Por que não fiz? (poesia)

Geraldo Trombin - Singrando, Sangrando (poesia)

Jean Douglas Galvão Piuna - Falta de Proporções (conto)         

Jorgete Daniele de Oliveira - Esquecendo a Rotina (poesia)

Lais de Souza Balmante     - Ode ao Meu Amor (poesia)

Luiz Gondim de Araujo Lins - Mistérios (conto)

Luiz Gondim de Araújo Lins - Máscaras (poesia)

Luiz Otávio Oliani - Orquestra (poesia)

Maria Leda Dourado - Fome de Hoje (poesia)

Odara Rufino Souza - Eestrlas de Papel (poesia)

Otaniel Mendes de Souza - Ee e Minha Nega (poesia)

Renata Paccola - O Espírito (conto)

Steffane Mayara do N. Azevedo - Pequenina (poesia)

sábado, outubro 30, 2010

2ª leva dos #Versificados em Boa Vista

A turma da capital mais setentrional do País mandou ver seus versos nos classificados do jornal Roraima Hoje, integrando-se à quinta leva dos #Versificados. Clique para ampliar.

sexta-feira, setembro 24, 2010

Primeira leva dos #Versificados em Roraima

 Publicado por Zanny Adairalba no blog do Coletivo Arteliteratura Caimbé.


Quem folheou os classificados do jornal Roraima Hoje no final de semana se surpreendeu ao ver poesias misturadas aos anúncios de compra e venda.


Os créditos dessa idéia vão para @arautonho, pai do movimento #Versificados, que junto com @laischaffe , criadora do nome, e @raissando, responsável pelo logotipo, decidiram espalhar poesia de forma incomum nos veículos de comunicação de massa.

Em Roraima a iniciativa teve apoio do jornal Roraima Hoje e contou com a participação de poetas roraimenses, do Centro-oeste e do Sul do País.


Se você quiser saber mais sobre esse movimento que está tomando conta do Brasil, acesse o blog do #Versificados.


Clique para ampliar e ler os #Versificados

sábado, setembro 18, 2010

Sombra de Brasília


Em frente à Academia de Tênis – abril de 2010

terça-feira, setembro 14, 2010

Hulk X Exterminador do Futuro: o filme que você gostaria de ver



Qual será a melhor escolha para dirigir este filme?

segunda-feira, setembro 13, 2010


Poesia nos classificados = #Versificados



E aí, pessoal que faz poesia? 

Quem quiser integrar-se ao movimento poético #Versificados, idéia de uma turma que faz poesia nas demais regiões do País, terá o próximo sábado (18 de setembro) para iniciar-se nesta onda.
 
A idéia é bem simples: publique um ou mais poemas nos classificados dos jornais de sua cidade e depois mande a imagem deles para o blog do #Versificados publicar. A meta é espalhar poesia de forma incomum nos veículos de comunicação de massa.
 
Em Boa Vista, o jornal Roraima Hoje já disse que vai abrir espaço. É só mandar na sexta-feira (17) um e-mail para roraimahoje@gmail.com, com o assunto “Para publicação #Versificados”. No corpo do e-mail, insira o seu poema e aguarde o sabadão chegar.
 
Se quiser e tiver abertura, pode publicar nos demais jornais da cidade: Folha de Boa Vista e Monte Roraima.
 
Para conhecer o padrão de publicação que o pessoal faz lá fora, acessa o blog do #Versificados.

domingo, setembro 12, 2010

Surpresas no reggae





O sábado fechou bem. Estive num show da banda Guy-bras, que levou muito reggae próprio e de outros autores no Sesc Centro, aqui mesmo em Boa Vista.

O show Transparente Reggae foi comandando pelo guianense naturalizado brasileiro Mike Edwards, mais conhecido como Mike Guy-bras. Ele fundou há 17 anos a melhor (e salvo engano, única em atividade constante) banda de reggae de Roraima, com dois discos gravados, “To Zion” e “The Best Of Guy-Bras”

Acompanhei há muitos anos, bem antes da banda surgir, a que acredito ter sido a primeira vez de Mike nos palcos. Foi no Todos os Cantos, show mensal que o próprio Sesc promovia em sua unidade do Centro. O negão, que trabalhava como vendedor de doces na rua, pediu para tocar e interpretou uma música de Bob Marley, encantando a platéia. Fui o primeiro jornalista a buscar o cara para fazer uma matéria para impressos. Lembro que a entrevista foi em frente à escola São José, na beira do Rio Branco.

Desde lá já vi muita coisa do Mike e sua banda. A galera é extremamente querida aqui, principalmente na zona Oeste de Boa Vista. Tocam, obviamente, muito Bob Marley, mas também sua composições próprias, canções que o público acompanha e sempre pede bis.

O show de ontem, no entanto, foi diferente. A Guy-bras estava gravando seu segundo DVD (do primeiro é bom nem lembrar: a empresa, especialista em formaturas, fez boas imagens, mas captou áudio direto e saiu aquela coisa ruim de se ver, acabando com a empolgação dos reggueiros...). Para complementar o espetáculo, Mike convidou várias pessoas para cantar. Seu parceiro de outros shows, Wilton Fernandes, cover do Raul Seixas, foi o primeiro a subir. O cara é a cópia do Raulzito e é outra figura querida aqui na cidade. Depois subiu um hippie (o salão do Sesc estava cheio deles, os animados convidados especiais da banda), que mandou ver a clássico “Metamorfose Ambulante”. Ouvir essa letra cantada por alguém que de fato escolheu uma vida diferente dos “sujeitos normais” é outra história...

Outros convidados também subiram, como o roqueiro Rubens Júnior, cantando letras da própria Guy-bras. Entretanto, o destaque, o motivo de estar escrevendo esta postagem, apesar da dor nos dois pulsos por conta da tendinite, a surpresa, não foi nenhuma dessas participações. Para mim, o grande lance da noite ficou por conta de Leonela, uma das cinco crias de Mike com Alicia, sua esposa e backing-vocal.

Leonela é uma adolescente séria, caladona, de poucos sorrisos nas horas de show. O oposto de papai e mamãe. Há anos ela acompanha a Guy-bras como backing, mas confesso que até ontem nunca havia ouvido claramente a sua voz (isso já aconteceu comigo em relação a outras vozes de apoio, verdade seja dita). Bem, posso dizer que ontem foi uma excelente primeira vez.

A canção inicial que ela interpretou não me empolgou (desculpem, mas sou péssimo para decorar nomes de músicas em inglês, mesmo sendo as clássicas do reggae.). Na segunda, Leonela parecia ter aquecido a voz para sua entrada solo e até já estava balançando o corpo. Da terceira em diante é que o bicho pegou. Saca Aretha? Isso, a negona americana, aquela mesma. Então...pensa na filha da Aretha. Pensou? Essa é a Leonela. O vozeirão do menina é muito bom. Tem suingue, tem energia. É blues, soul, black music pura, incluindo aqui o reggae.

O lance foi tão bom e crescente que a Leonela na última entrada solo já estava até sorrindo ao interpretar a bela “Redemption Song”, fechando com chave de ouro o show de papis Mike, que agora vai agilizar a saída do segundo DVD da Guy-bras.

É isso. Longa vida ao reggae, longa vida à Guy-bras, sucesso para Leonela, que a partir de agora é minha diva local da black music.

P.S.: a banda tem um perfil no Orkut. Vê lá fotos de outros shows. Ontem esqueci de levar a máquina...

sexta-feira, setembro 10, 2010

Ditos bem ditos

Afonso Rodrigues de Oliveira * (Publicado originalmente aqui)


“Quando nos amamos de verdade, tudo dá certo”.

Os ditos quando são bem ditos tornam-se benditos. Desde, claro que não os vulgarizemos. Os nordestinos são useiros e vezeiros dos ditos populares. Recentemente o escritor potiguar, Geraldo Queiroz, me mandou um exemplar do seu último livro: “Geringonça do Nordeste – A Fala Proibida do Povo”. Uma beleza de livro. Um verdadeiro glossário de expressões usadas no nordeste. Muitos dos dizeres bem usados atualmente em todas as regiões do Brasil. Mas é muito gostoso você ler expressões, das quais você nem se lembra mais e que muitas vezes nem conhece.

Terça-feira, estávamos na reunião do Fórum de Cultura quando, propositadamente, o roraimense Edgar Borges usou uma expressão muito conhecida pelos nordestinos: “Quem não pode com o pote não pega na rodilha”. Expressão bem oportuna no assunto que se discutia, sobre a provável construção do Teatro Municipal de Boa Vista. Minha mãe usava muito esse dito, sempre que algum de nós extrapolava e cometia uma imprudência. Ela assumia o que fazíamos e simplesmente advertia:

- Quem não pode com o pote não pega na rodilha.

Ontem, pela manhã, eu estava no quintal quando ouvi, lá na oficina do Olímpio, alguém falar pra alguém:

- Em casa de ferreiro, espeto de pau.

Outro dito que minha mãe usava com frequência. Quando, por exemplo, ela achava que meu pai caíra em falta com alguma coisa simples que ele deveria ter feito. Ele era marceneiro. Num dia, ela precisou comprar uma colher-de-pau. Ela chamou meu irmão mais velho, olhou sarcasticamente pro meu pai e ordenou pro meu irmão:

- Vai ali comprar uma colher-de-pau, pequena, pra mexer o mingau, porque em casa de marceneiro o espeto é de ferro.

Prendi-me pra não rir e vi que meu pai fazia o mesmo esforço. Ainda bem, porque, no temperamento dos dois, o assunto banal e corriqueiro era suficiente para uma tremenda ranzinzice.

Você já prestou atenção em como essas coisas aparentemente banais são muito importantes no nosso crescimento? Já viu como é gostoso você se lembrar de tais insignificâncias vindas de ditos populares, de lugares e em horas tão distintos? Isso faz parte do nosso viver. O prazer que senti em ouvir um ditado numa reunião do Fórum de Cultura foi o mesmo que senti ouvindo-o vindo da oficina mecânica. E isso é cultura, senhores candidatos a postos eletivos. Pensem nisso como plataforma em suas campanhas, senão vamos ter que enfrentar o lodo do analfabetismo político e social por mais um longo período na formação dos nossos descendentes. Pense nisso.
* afonso_rr@hotmail.com - 9121-1460
De vez em mes

Mais um vídeo de Ricardo Arjona, um dos meus cantores e compositores prediletos. A letra fala da agonia do cara em relação as mudanças hormonais da parceira, TPM e tal. No vídeo, o que me encanta é o jogo de fotografias indo de um lado a outro da tela e as palavras que jogam como fundo nas imagens em movimento.


quinta-feira, setembro 09, 2010

Femact celebra Dia da Amazônia com exposição
(Publicado originalmente no site da Femact)

Cinco de setembro é o Dia da Amazônia. Para comemorar a data a Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia (Femact) preparou uma programação especial com o lançamento de uma nova exposição temporária que irá compor o circuito do Museu Integrado de Roraima (Mirr).

De acordo com Luciana Surita, presidente da Femact, a mostra é uma mistura de arte e literatura, composta por telas do artista plástico da etnia Macuxi Bartô, fotografias de Tana Halú e poemas de Edgar Borges e Zanny Adairalba.

“A exposição destaca as peculiaridades da cultura indígena. As obras do artista plástico Bartô são feitas em óleo sobre tela, retratam principalmente a fauna e flora da região com um toque de surrealismo. As fotos de Tana Halu juntamente com os poemas de Edgar Borges e Zanny Adairalba, retratando as peculiaridades da cultura indígena”, destacou.



A mostra já está aberta ao público para visitação no hall do Museu Integrado de Roraima, no Parque Anauá, de segunda a sexta das 7h30 as 17h30. Informações: 3623-1733.



ARTISTAS

Edgar Borges é jornalista e sociólogo, venezuelano e brasileiro, nascido numa aldeia indígena à sombra do monte Roraima, escreve versos e prosa ficcional e real desde a adolescência. Possui textos publicados em livros-coletâneas, sites jornalísticos e culturais.
Publicou um e-book na revista portuguesa on-line Minguante e trabalha em outro de poemas e crônicas em celulose sólida. Escreve quase todo dia no blog Crônicas da Fronteira.

Zanny Adairalba é compositora e poetisa, cursa Administração, na área pública, atua como gestora/consultora cultural, é co-responsável na elaboração e execução de eventos culturais de pequeno, médio e grande porte realizados pelo Município de Boa Vista.

Tana Halu é fotógrafo, jornalista, ilustrador, decorador e contador de história. Tem dois livros publicados em parceria com a escritora Aléxia Link. Sempre saca das mangas histórias mirabolantes de episódios que viveu ou dos quais ouviu falar.

Bartô é Bartolomeu da Silva, nascido em Boa Vista, mas também de raízes macuxi, da região de Maturuca, na Raposa Serra do Sol. Seus quadros, feitos sempre em óleo sobre tela, com um toque de surrealismo, retrata  principalmente a fauna e a flora da região.

DATA

O Dia da Amazônia foi criado para conscientizar a população quanto à importância da preservação da Floresta Amazônica, além de promover e contribuir com a formação social e moral do aluno. A data de 5 de setembro foi escolhida em homenagem à criação da Província do Amazonas, em 1850, por D.Pedro II.


............

P.S. meu: Sobre os perfis: são os que no blog do Coletivo Arteliteratura Caimbé.

sexta-feira, setembro 03, 2010

Vídeos que eu vejo sempre que posso


Tem música que te chama a atenção por uma ou outra frase e tem música que te chama a atenção por inteiro. Junta uma dessas com clipes interessantes e aí você vai entende o motivo de ser fã desses dois videoclipes do cantor guatemalteco Ricardo Arjona. São músicas com alguns anos de estrada já, gravadas no disco Santo Pecado.
Separadas no CD, foram transformadas uma na continuação da outra no vídeo. Se liga nas locações do primeiro, nos becos de cidade antiga e nos coadjuvantes, que cantam pedaços da canção. A minha cena preferida é quando ele invade uma livraria. Ou será a primeira parte, no jogo de bilhar? Ah, gosto de tudo.
Com vocês: El Problema e Minutos, de Ricardo Arjona.



EL PROBLEMA




MINUTOS

terça-feira, agosto 31, 2010

Curta: "El Dinosaurio" de Augusto Monterroso


Não lembro como cheguei hoje no blog "BiblioFilmes Festival - Baseado no Livro", que se apresenta como "um conjunto de iniciativas para a Comunidade da Língua Portuguesa usando um novo conceito de promoção do livro, da biblioteca e da leitura através das novas tecnologias e do cinema".

Só sei que foi via buscador Google, a bíblia moderna que nos dá respostas para tudo. Da postagem de arquivo fui para a principal e olha que maravilha que encontre: curtas inspirados no microconto/miniconto/micronarrativa "O Dinossauro", de Augusto Monterroso. 

Show de bola. Eu mesmo, para o livro que ainda não foi publicado, fiz uma versão do mais famoso dos pequenos contos.

Bom, sem mais lero-lero, curtam aí essas leituras audiovisuais de "El Dinosaurio".



segunda-feira, agosto 30, 2010

Semana do calor

1. Quente, muito quente. O final de semana foi assim. A segunda foi pelo mesmo rumo. Acho que o verão acabou de chegar, daquele jeito...

2.Saiu na imprensa que o La Niña ia aliviar a nossa barra, fazendo com que chovesse um pouco. Acho que foi furada. A única coisa parecida que deu por esses dias veio com tanta ventania que arrancou telhados, derrubou árvores e mandou pro chão postes de publicidade. Chuva mesmo foi só um tantinho, uma bobagem. Se bem que foi destruidora.

3.Até sexta-feira dando aulas na Universidade Federal de Roraima, numa oficina sobre ciberliteratura integrante da programação do III Seminário de Integração de Práticas Docentes e I Colóquio Internacional de Práticas Pedagógicas e Integração.

4. Dizem que Boa Vista é o fim do mundo. Se é verdade, então está justificado esse calor. Se subir mais um grau, tudo começa a incendiar. O caos vai se instalar e correrá pelo mundo. Aí vai começar o final de tudo o que conhecemos. 2012 é aqui, em Roraima.

sexta-feira, agosto 27, 2010

Homenagem

A escola estadual 13 de Setembro, cujo nome relembra a data de criação do extinto Território Federal do Rio Branco, depos de Roraima, fez hoje sua XII Mostra Poética.

Passei parte da tarde lá, como jurado da modalidade interpretação. Como sempre, foi agradável ver a molecada participando com muita disposição da mostra.  

Coordenada desde o começo pelo professor e poeta Aldair Ribeiro, é o evento continuado mais antigo nas escolas do Estado.Já revelou bons talentos, gente que saiu da escola para ganhar prêmios em concursos estaduais e encaminhou pelo caminho da literatura.

Divulgo e ajudo de várias formas a mostra desde a primeira edição. Por isso ganhei hoje o diploma Amigo da Escola 13 de Setembro. O primeiro concedido. Fiquei envaidecido com o carinho.

Depois falo mais. Agora tenho que me esquivar da chuva doida que cai na cidade depois de uma tarde de intenso calor. 

terça-feira, agosto 24, 2010

Abusadinho, ou sobre a falta de educação no funcionalismo público


Um artista plástico frustrado hoje me chamou de "abusadinho" só por estar tomando cuidado com as peças de outro artista. 

Quer dizer, nem sei se o cara é frustrado. Sei que é artista plástico das antigas, desses que vivem aparecendo nas colunas sociais como se fosse um sujeito muito bem-sucedido, dos que vivem exclusivamente de sua arte. 

Hoje, no entanto, descobri que o cara é funcionário público como eu, um escritor pobre, que bate expediente para garantir a vida e o leite das crianças da maloca. A diferença é que eu nunca chamei de "abusadinho" nenhuma pessoa que fosse ao meu local de serviço, nem quando de fato a pessoa merecesse esse tratamento (E olha que um bocado já fez por onde). Afinal, acredito que ser cordato no serviço público é o mínimo de obrigação a cumprir. 

A situação foi surreal: o Coletivo Arteliteratura Caimbé, do qual faço parte, ainda está com uma exposição montada no Sesc Roraima. São telas do pintor Bartô, fotografias de Tana Halú e poemas meus e de Zanny Adairalba, herança da Mostra Vídeo Índio Brasil.

Tana recebeu, ainda durante a mostra, um convite para levar a exposição a um lugar muito bacana aqui do Estado. Local de estudos, de conhecimento, daquilo que chamamos rotineiramente de "cultura". Como ele viajou, hoje fui nesse lugar conversar com a simpática diretora do mesmo. A moça me tratou muito bem, me levou até o local onde vão ficar as peças e chamou o responsável pelas montagens das exposições. Esse é o tal artista, aquele que chamei, talvez injustamente, de frustrado no começo do texto.

Começamos a conversar sobre o número de telas, o tamanho das fotos, a ideia de ampliá-las, como ficaria distribuído o material, essas coisas comuns neste tipo de situação.

De repente, eu digo algo sobre os cuidados que devem ser tomados para não danificar as telas do Bartô (Afinal, já basta estar expondo sem ganhar nada. Se danificar, eu é que vou ter que pagar). É nessa hora que o respeitável artista plástico/dublê de montador de exposições me pergunta: 

- E quem vai montar a exposição, vocês?
- Não. Vocês.
- Ah! Tu tá muito preocupadinho com essa montagem, com medo de danificar as peças!

Segundos de surpresa com a volume de voz, o tom da voz e as frases do artista plástico/dublê de montador de exposições/funcionário público que nunca havia me visto na vida.

Peraí. Eu não sou seu amigo, não lhe conheço e não lhe dei autoridade para falar assim comigo. Por isso, vamos recomeçar, falei, usando toda a boa educação que mamãe me deu na maloca.
Que recomeçar o que? Tu tá muito abusadinho, com medo de rasgar as telas do outro...

Sinceramente, a vontade que me deu foi de mandar o pseudo-artista plástico/dublê de montador de exposições/funcionário público que nunca havia me visto na vida/pessoa sem nenhuma educação dirigir-se a algum lugar onde pudesse, confortavelmente, sentar, pegar o seu dedo médio e introduzi-lo onde lhe causasse prazer. Como na hora eu pensei que ele não merecia sentir prazer, optei por ignorá-lo e me dirigir à simpática diretora, que estava paralisada, com uma expressão de terror: 

- Eu vou conversar sobre a exposição com você ou com ele? Se for com você, ótimo. Com ele, não converso mais.

A elegância da moça controlou a situação, acalmou o exaltado e fez com que continuássemos a conversa (ela e eu. O sujeito se retirou  pisando forte). Acertamos que, em breve, as telas (se o Bartô deixar, claro) e as foto e poemas que estão no Sesc Mecejana até o final do mês vão mudar de lugar por um bom tempo. 

Verdade seja dita: se o convite tivesse sido feito a mim e não ao Tana, teria desmarcado só pela grosseria. É por reações e comportamentos como o de essa figura que adora uma coluna social que o poder público é tão criticado. 

Up date: esta postagem de junho revela o motivo de ter me controlado. É defeito pós-filho.

segunda-feira, agosto 23, 2010

Boas notícias de agosto 

Depois da participação no e-book da Editora Novitas, aproveito para compartilhar uma outra boa notícia de agosto. Saiu nesta segunda (23) o resultado da Bolsa de Circulação Literária da Funarte (Fundação Nacional de Artes).

O meu projeto Caminhada Arteliteratura, a ser desenvolvido em comunidades indígenas de Roraima e na cidade de Palmares (PE), aquela que foi praticamente destruída pelas enchentes, foi um dos classificados pela região Norte.


 
Agora é só checar se não aparece nenhuma dívida com a Receita. Estando tudo Ok, vamos circular!  

Quem quiser conferir se o seu projeto ou o de um conhecido foi aprovado, o link é este.

Em tempo: o nome é uma referência ao Coletivo Arteliteratura Caimbé, do qual faço parte. 

Depois escrevo mais sobre o projeto. Agora vou ali, tirar uma certidão negativa de débito com a Receita e começar a fazer a conta de como vou me arrebentar ano que vem com o Imposto de Renda...

Falando nisso, vocês que acessam esta casinha de histórias conhecem alguma editora livre para publicar um livro de micronarrativas?

quarta-feira, agosto 18, 2010

Mais um e-book no ecrã


A Editora Novitas, lá do Rio Grande do Sul, lançou esta semana o e-book Apenas o Necessário, com frases publicadas por 36 autores no Twitter.


Este índio blogueiro está na coletânea. Verifique na página 19.



Depois de ler minha página, com frases pinçadas do perfil no Twitter, dá um pulo no meu e-book solo, o Roraima Blues, publicado pela revista de micronarrativas Minguante, lá de Portugal.





Se tu ainda tiver tempo livre, vai na gaúcha revista Veredas, focada em minicontos e micronarrativas, clica no link “Minis por autor” e tu vai me encontrar também.



Depois de toda essa viagem virtual, volta aqui e comenta aí no espacinho dos comentários.

sexta-feira, agosto 13, 2010

Sexta-feira 13


Superstição? 

Coisa para os fracos e supersticiosos. Eu só acredito em Makunaima e em bruxas. 

Às vezes, nem isso. Geralmente estou mais para a relação que Conan, o cimério, mantém com seu deus Crom: ele lá, nós aqui. 

quarta-feira, agosto 11, 2010

Literamistura


Nesta quarta sou uma mistura infame, intragável e cinza d’A Segunda Infância de Manoel de Barros, Aline de Adão Iturrasgarai, do bangue-bangue em HQ de Jonan Hex e dos hai cais de Mário Quintana e Paulo Leminski.

Reclamações ou informações, favor dirigir-se ao balcão 4, à sua esquerda, terceira porta azul-céu-antes-da-chuva.

Lá tem um folheto para distribuição gratuita sobre o final de um evento de vídeo indígena. Pode pegar e ler enquanto o atendente não chega. Com certeza o vagabundo saiu.

Agora, com sua licença, se você não vai escrever nenhum comentário, deixe a freguesia circular.

segunda-feira, agosto 09, 2010

Tweets sobre política


1. Acho fofo o povo da cultura roraimense que recebe sem trabalhar vir pedir meu voto, desinteressadamente, para quem lhes garante o ócio...

2. Cada vez que vejo a mansão de um político corrupto, penso na música "tá vendo aquele edifício, moço, ajudei a levantar"...

3. “E os arrogantes ficarão humildes e conviverão com os desfavorecidos”. Não, não é o Apocalipse. É a campanha das #eleições2010.

4. Hum...tem candidat@s feios@s que ficaram até degustáveis com a cirurgia plástica que o photoshop fez nel@s. #eleições2010

(Publicados aqui, neste perfil frontal que evita afrontar e busca ironizar, muitas vezes sem sucesso, mas vamos tentando.)

sexta-feira, agosto 06, 2010

Fugindo de viagem

É...vamos ficando velhos e tomando decisões esquisitas. Deveria ir a São Paulo semana que vem, participar de uma Reunião de apresentação da Proposta de Modernização da Lei do Direito Autoral.
O lance vai rolar na terça-feira (10), no Instituto  Itaú Cultural, espaço que sou louco para conhecer e deixar meus contatos para que mandem os belos materiais que editam rotineiramente. Iria como participante do Colegiado do Literatura, Livro e Leitura. Iria, no pretérito.
O problema é que fui fazer as contas e, pelo roteiro que me foi enviado, ia gastar 33 horas deslocando-me no trecho Boa Vista – Sampa – Boa Vista. Terrível.
A vontade de voltar a São Paulo depois de 9 anos e  participar desse encontro é grande, mas não tanta que me faça passar tantas horas dentro de um avião e em aeroportos numa viagem em território nacional. Esse é o preço que pago por viver na capital mais setentrional do Brasil e último ponto de parada das duas únicas empresas aéreas que nos atendem: Gol e Tam.
Bá...estou indignado...
Bom, este post é mais para quem vive perto de São Paulo, vai entrar aqui por acaso e acha legal participar da Reunião de apresentação da Proposta de Modernização da Lei do Direito Autoral. O encontro será das 15h às 18h, no Itaú Cultural.

O blog da consulta, caso você não conheça, é este aqui. Tem espaço para sua opinião, que é muito importante para melhorar a atual lei.  Vai, clica e contribui.

quinta-feira, agosto 05, 2010

OFF


Às vezes, é desse jeito mesmo:
Muito silêncio e pouco barulho.
Às vezes, é pior do que isso:
Excesso nas ideias, pouco juízo.
Às vezes, é melhor ficar assim:
Uns no exagero. Eu, aqui, miudim.

quinta-feira, julho 29, 2010

Batfrases


“Eu sou um profeta do caos.” – Coringa para Duas Caras #Batman


“A loucura, como você sabe, é como a gravidade. Só precisa de um empurrãozinho.” – Coringa para #Batman


“O mundo é cruel, e a única moralidade num mundo cruel é o acaso.” – Duas Caras para #Batman.


“Às vezes,a verdade não é boa o suficiente. Às vezes, as pessoas merecem mais. Às vezes, as pessoas merecem ter a sua fé recompensada.” #Batman
Nomeação no Colegiado Setorial do Literatura, Livro e Leitura

 
Saiu no Diário Oficial da Unide  terça,27, o documento do Ministério da Cultura com a nomeação da turma que faz parte do Plenário do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC). 

São 58 membros, representantes do Poder Público, das áreas técnico-artísticas e de patrimônio cultural, integrantes de entidades de pesquisa, acadêmicas, empresariais, institutos e fundações.

O Diário Oficial da União também publicou oito portarias com a composição dos Colegiados Setoriais do CNPC: Artes Visuais, Circo, Culturas Populares, Culturas Indígenas, Dança, Literatura, Livro e Leitura, Música e Teatro.

Compostos por cinco representantes do Poder Público e quinze da sociedade civil organizada, os Colegiados são instâncias que auxiliam o CNPC em matérias relativas aos respectivos setores, respondendo às demandas do Plenário. São responsáveis por debater, analisar, acompanhar e fornecer subsídios ao Conselho para a definição de políticas, diretrizes e estratégias referentes a cada área artística.

Em resumo: saiu a portaria que me torna, de direito, integrante do Colegiado de Literatura, Livro e Leitura.

terça-feira, julho 27, 2010

Na ativa, mas não muito...


Minha tendinite não melhorou nada depois das sessões de fisioterapia e ainda não busquei um médico para outras sessões.
Por isso e outros motivos tenho escrito pouca ficção. As duas mãos doem que só  e não há como fantasiar. Além  disso, estou ocupado na produção local de um evento chamado Vídeo Índio Brasil 2010. Olha o cartaz aí:


 

Quer saber mais? Então dá um pulo ou no site do Coletivo Arteliteratura Caimbé ou no meu outro blog, o Cultura de Roraima. Esses são alimentados quase sempre, ficando o Crônicas à míngua.