quarta-feira, dezembro 30, 2009


Calma, que 2010 ainda não chegou


Não. É a última postagem do ano. Ainda amanhã, apesar de piegas, quero falar sobre metas para 2010. Não para compartilhar, mas para poder me lembrar depois. Se ficar só na cabeça não sai nada.


Voltando esta semana ao trabalho, às calças compridas, aos sapatos e tênis o dia inteiro e ao acordar cedão 5 dias por semana. Já ganhei novamente a dor nas costas. Fruto de horas e horas mexendo com computador.


Passei as férias na cidade, vendo coisas da casa e do apartamento. Ou seja, não tirei férias. Foi mais como um sábado estendido. Ainda bem que choveu em Boa Vista durante alguns dias. Isso aliviou um pouco o calor deste pedaço quente da Amazônia.


E o rolo no Suriname? Que coisa. Os relatos nos jornais me lembram imagens de chacinas na África. E o meu pai, o velho Juca, quase se tocava pra lá dia desses. Sem trabalho aqui e na Venezuela, achava que era a melhor opção.


Meu indiozinho deve ser o único bebê que passa até 14 horas sem dormir e depois disso ainda está pilhado. Também deve ser o único que dorme só um cadinho e acorda cedo depois de um dia agitado desses.


Janeiro já jogou as malas na sala e está prestes a se deitar no sofá. Tempo de começar a preparar o dia da poesia 2010, lá pra março. Mas antes disso vem o aniversário do Edgarzinho, 10 de janeiro.

terça-feira, dezembro 29, 2009



Balcão de emprego



O penúltimo post do ano é uma dica para quem pretende ser professor universitário na ponta norte da Amazônia. A Universidade Estadual de Roraima tem 21 vagas para professores mestres e doutores. Os editais do concurso público foram publicados nesta segunda-feira.

Pra começar, o professor mestre vai receber R$ 3.958,84 mensais. Os doutores receberão R$ 5.849,02 por mês. 

Quem for lotado ou residente nos municípios do interior receberá gratificação de 15%, 25% ou 35%, de acordo com a distância da Capital.

Sete vagas foram ofertadas para os cursos de Ciências Biológicas, Enfermagem e Educação Física. As outras 14 vagas estão distribuídas nos cursos de Filosofia, Geografia, História, Letras, Pedagogia ou Normal Superior e Sociologia.



Se estiver interessado, visita o site www.uerr.edu.br e baixa os editais.





Um mapa de Roraima roubado da net para saber onde ficam os municípios


quinta-feira, dezembro 24, 2009

Então é natal...o que você fez?




O natal é tempo de reflexão, dizem por aí. É tempo de refletir muito sobre que presente vai se dar na festa do amigo oculto ou se a grana do 13º vai parar nas mãos dos bancos que nos emprestaram grana durante todo o ano.


Alguns, claro, não pensam só nisso, mas lembram que a festa tem a ver com o nascimento de um certo Jesus há 2009 anos lá no Oriente Médio. Mesmo que somente muito tempo depois a Santa Mãe Igreja tivesse referendado esta data, aproveitando que coincidia com festividades pagãs, dezembro é certamente o mês de Cristo.


Eu não gosto das festas de fim de ano faz um tempão, desde que era um garoto morando em Guasipati, na Venezuela e percebi que nada de diferente surgia na Terra na manhã de 1º de janeiro, quando o ano novo chega e tudo deve mudar, principalmente para melhor, com um mundo de paz, prosperidade, alegria, etc. etc. etc....


Mas esse sou eu. Lá nas malocas de minha família o povo fica num pé e outro esperando a chegada do fim do ano.


Enfim, voltando ao tema da reflexão, vou compartilhar com os leitores que chegam até este blog em busca de outras coisas, conforme me informa meu sistema de monitoramente de acessos, um resumo do que conquistei este ano.


O que veio em 2009


2009 foi um ano de mais. Muitos “mais” do que “menos” ou “igual”. Vejam só esses mais:


- Estou mais pesado fisicamente.


- Ganhei mais desafetos.


- Ganhei mais amigos.


- Ganhei mais dinheiro.


- Gastei, sem sombra de dúvidas, mais dinheiro.


- Paguei mais impostos.


- Trabalhei mais com cultura.


- Tive mais estresse que em 2008.


- Discuti, mesmo prometendo ser paz e amor, mais.


- Escrevi mais do que nunca para o blog.


- Apesar de pouco, viajei mais.


E os menos:


- Li menos livros.


- Fui menos persistente em algumas coisas.


- Fiz menos exercício.


- Fiquei menos esperançoso com o mundo.



Com certeza há outros “mais” e “menos” nos meses que se passaram, mas acho que estes são os mais destacados. Antes do ano novo chegar acho que vou escrever sobre metas que não atingi, vitórias e o 2010 que vem por aí. Pra que ler hoje ou amanhã, feliz natal.





segunda-feira, dezembro 21, 2009

Início de boa semana

Chove desde ontem em Boa Vista. As manhãs estão agradáveis, com um ventinho frio prendendo as pessoas na cama. O céu está nublado, prometendo mais chuva, meu teclado continua com a tecla O defeituosa desde que o Edgarzinho a arrancou e a poeira das rua abaixou.

Esta semana vou receber un$ que a negada me devia faz um tempaço, o que deve ajudar a continuar desequilibrando as contas para um saldo positivo. Falando nisso, a próxima delas é a festa de dois anos do índio mais gato desta imensa maloca que é Boa Vista.




O pequeno rei da maloca vai para os seus dois aninhos em janeiro.


Fora isso, só de ter o notebook funcionando novamente já fico feliz. Se tivesse viajado nas férias teria sido bem melhor, claro. Não deu. Falta de planejamento que se tornou providencial. Ene pepinos para resolver, coisas para arrumar pois estavam desarrumadas havia muito tempo, coisas da vida doméstica para regularizar.

Agora vou bem ali, talvez no Twitter falar rapidamente sobre qualquer coisa, talvez na rede da varanda para curtir a manhã em fase doméstica antes que as férias acabem.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

sábado, dezembro 05, 2009

Dezembro em Roraima...
Quente, a cidade transpira no calor. As praias dos rios aparecem e ocupam mais espaço que as águas.
Lá, fora desta lan onde escrevo, a luminosidade é insuportável. Os meus óculos quebrados não ajuda em nada a superar isso. É o preço de morar no meio do mundo.
Aqui, eu, que estou de férias na cidade, penso na velocidade da mudança ao ver prédios e casas antigas serem derrubados em um piscar de olhos e novas construções surgirem.
A história de um município de 119 anos pode ser contada por um prédio que tenha seis décadas, ou seja, metade da idade de Boa Vista. Mesmo que muitos não entendam isso.
A chegada do meio-dia deixa as pessoas nervosas. Como o cara escreveu na revista Trip, o clima influencia o humor dos boa-vistenses. O meu com certeza é diretamente coordenado pela temperatura.
O clima leva os moradores de Boa Vista a vestir sempre roupas leves. Menos os advogados e os servidores do Judiciário e do MPE, que adoram aquelas roupas de quem mora nas regiões frias.
E sofrendo no calor horrível que faz nesta calma cidade que adoro, ainda há quem me pergunte o motivo de gostar tanto de shortes, bermudas e camisetas. Será que é difícil entender que a roupa ideal para Roraima é essa, com no máximo umas havaianas? Ainda mais quando falam com um índio?
Preciso plantar novas árvores na maloca...

quinta-feira, dezembro 03, 2009

Paz e amor, mas nem tanto...





Desde que o indiozinho nasceu, em janeiro do ano passado, tenho tentado andar numa linha paz e amor com o mundo. Afinal, não quero ninguém fazendo tocaia para deixar meu pemonzinho órfão.
Adotei a seguinte metodologia: tentar zerar a ironia e a irritação causada por atos de estupidez, mau caratismo ou incompetência alheias. Achava que tinha conseguido fechar o ano sem ganhar novos desafetos, mas acredito que me enganei.

A primeira leva de informação sobre o insucesso veio no final do mês passado, durante uma conferência de comunicação. Como não deixei uns caras assinarem a lista de presença depois que havia encerrado o prazo, não votei em umas pessoas para delegado e cortei a palavra de umas figuras que não eram delegados ou observores no evento, lá apareceram as primeiras caras feias.

Depois veio minha atuação como jurado de um concurso de jornalismo local. Lá pelas tantas, assim sem querer, a organizadora contou que havia falado meu nome a uma das concorrentes e a fulana teria dito “Aquele lá que vive de mal com o mundo? Vai dar zero pra todos!”. Eu, de mal com o mundo? A pessoa mais pacífica e amorosa que conheço depois de minha vó Maria José? Imagina se não estivesse na fase paz e amor, o que essas figurinhas não pensariam de mim...

Mas o grande barato foi ontem, no encerramento da II Conferência Estadual de Cultura de Roraima. Além da irritação habitual que causo nas pessoas quando discordo delas (incrível como isso acontece, principalmente se faço isso com aqueles que “têm muito tempo de estrada”, são “representantes de segmento” ou “já fizeram muito por Roraima”), apareceram duas figuras tentando dar o golpe do João Sem Braço em um dos Grupos de Trabalho da conferência.

As duas figuras, integrantes do Fórum Permanente de Cultura de Roraima – do qual ainda penso em fazer parte mas me desanima cada dia mais por ver que está sendo transformado em trampolim de interesses pessoais -, simplesmente ignoraram a vontade do GT e mandaram propostas a mais para serem votadas na plenária.

O povo que fazia parte do GT estranhou, pediu para parar, afirmou que aquelas não eram as propostas nem o número amplamente acordados e aí apareçam as explicações dos mediadores:

- Acho que houve falta de comunicação. O que nós falamos foi em priorizar quatro e não somente mandar quatro para votação, disse um.

- Gente, se essas propostas não forem votadas, isso vai prejudicar o Plano Estadual de Cultura. Nós não podemos deixar somente essas, disse a outra.

Palavras vão, palavras voltam, apareceu uma moção de repúdio à atitude desavergonhada da dupla. Eu fui o primeiro a assinar.

Lá na hora de votar a moção, um delegado que havia sido o primeiro a falar em falta de respeito ao GT levantou-se, falou em questões pessoais, blá, blá, blá, defendeu o direito de defesa da dupla e trabalhou suas palavras para convencer o povo a não votar na moção.

A mediadora, que pela frase anterior sabia o que estava fazendo, veio, fez carinha de choro e pediu desculpas à platéia, que havia sido sem intenção, que aquilo e o outro. Enquanto falava, lembrei de um debate que havia rolado semanas atrás no Fórum sobre o comportamento da mesma na organização da Conferência de Comunicação. Comportamento este que havia motivado a sua expulsão-retirada-exclusão da comissão da Confecom para que o primeiro suplente assumisse o seu lugar e alguém do fórum trabalhasse.

Para justificar o motivo do fórum nunca haver sido comunicado oficialmente de alguma das coisas que estava fazendo, como havia entrado na comissão e desde quando, começou do mesmo jeito, dirigindo-se a mim, que havia levantado essas questões:

- Peço desculpas se nunca o fiz...

Bá, isso que é modus operandi eficiente. Do mesmo jeito que convenceu a galera do fórum de suas boas intenções, convenceu a turma da conferência de cultura e menos de um terço das pessoas que haviam assinado a moção votaram pela sua aprovação.

Resultado, pedir desculpas faz bem ao estilo.

Essa história resumida você pode ler aqui neste blog. Mas bem resumida mesmo.

Eu, como não vivo pedindo desculpas por aí, sei que vou apenas ganhando desafetos por esse mundo de meu Deus. Já pensou se ainda estivesse no estilo irônico “bateu-levou”? Pior, já pensou se eu me importasse um centavo com os sentimentos dessas figuras em relação a mim?

E só lembrei de falar disto pois uma moça que conheci dia desses me disse que o meu jeito é irônico e um pouco ácido. Sinal de que o estilo "Ed paz e amor" ainda não foi percebido pelas pessoas ou então estava apenas me enganando com o sucesso do mesmo. 


Mas bá, vamos falar de coisas boas, pois de gente, ops, coisas ruins o mundo está farto:


A artista plástica Mari Faccio leva sua exposição “Anjos” para a Galeria Franco Melchiorri, no Espaço Cultural Amazonas Brasil, no Centro de Atividades SESC, no Mecejana. O acervo reúne quadros pintados com tinta acrílica sobre tela, fica aberto à visitação até o dia 11 de dezembro. Vai lá, se tu mora aqui em Boa Vista. Tudo lindaço e muito colorido, bem no espírito da Mari.

sábado, novembro 28, 2009


Dicas do Ed

Publique um artigo sobre economia de cultura
Mande seu artigo para o Programa de Extensão Universitária (ProExt Cultura), realização  dos Ministérios da Cultura e da Educação em colaboração com a  Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João Del Rei (FAUF).





Os artigos devem acompanhar as linhas temáticas conforme descrição abaixo:
1. A Universidade e a Economia da Cultura
2. Incubação e Formação de Grupos de Cultura
3. Democratização do acesso à produção e à fruição culturais
4. Formação de gestores de empreendimentos na área da cultura
5. Economia da Cultura: Políticas Públicas e Modelo de Financiamento
6. A Produção Cultural da Moda
7. Economia da Cultura e Cultura Digital
8. Gestão de Equipamentos Culturais
9. Redes e Coletivos de Cultura
Mais informações AQUI

Faça um concurso público

A Universidade Federal de Roraima abriu concurso público para contratação de professores de Ciências Sociais, Arquitetura, Artes, Jornalismo, Administração e Pedagogia.






quarta-feira, novembro 18, 2009

Notas


Outro Olhar

O Outro Olhar da TV Brasil vai fazer uma Retrospectiva 2009 com uma seleção dos vídeos que foram exibidos durante o ano. Foram quase 100 produções no total.

Envie um email para  outroolhar@ebc.com.br e escolha três vídeos que devem estar na Retrospectiva. Coloque em sequencia o título dos vídeos exibidos e envie para o e-mail acima.

Os vídeos podem ser vistos no canal do Outro Olhar no Youtube e a escolha pode feita até o dia 30 de novembro. 

Os realizadores dos vídeos mais votados vão apresentar seu próprio trabalho na TV Brasil durante a Retrospectiva.

Sugestão de primeiro voto:
1. Primeiro fórum permanente de cultura


Diz o pessoal que os produtores vão para a TV Brasil apresentar os vídeos. Então, ajude este blogueiro a apresentar o seu lá. Vote nesse vídeo e nos outros que você gostar.



Confec RR


Começa nesta sexta, 20 de novembro, à noite, a I Conferência Estadual de Comunicação de Roraima. A programação, o texto-base e as propostas norteadoras estão disponíveis no blog da mesma.



Na noite de abertura serei coordenador de uma mesa que vai discutir Mídias Digitais e Diálogos Democráticos. O palestrante será o professor mestre Avery Veríssimo, com debates dos jornalistas Luiz Valério e Cyneida Correa
 

No sábado pela manhã vou ser facilitador no Grupo de Trabalho III, discutindo o Eixo 2 – Meios de distribuição.


Férias

Depois disso entro de férias sem viagens marcadas, sem saídas no meio da noite para nada, isolado no meio do calor.

Verão

Já contei que o verão está escaldante aqui em Roraima? Sábado estive no município de Caracaraí, a cento e poucos km de Boa Vista, para o lançamento da pedra fundamental do campus da Universidade Estadual de Roraima na cidade.

Meio-dia, sol horrível, a umidade da selva e o calor que fazia o braço ficar molhado como se estivesse mergulhando-o em um balde com água. Uma chuva na noite anterior aplacava um pouco as chamas do inferno, mas vez ou outra vinha uma brisa direto de algum forno a 140 graus.
Não há como ser feliz para sempre neste conto de fadas cheio de calor e luz.



quinta-feira, novembro 12, 2009

Meio que tuitando


O jornal The Times publicou lista dos 100 melhores filmes da década. Vai aqui para ver em inglês a lista dos que você assistiu.

Se o teu lance, como o meu, é mais um portuga básico, vai aqui nesta outra página para ver apenas os 30 melhores da lista.




Muitos eu não vi. Outros sim. De vários não gostei. E tu?

Calor, muito calor. Boa Vista está inabitável de dia. A coisa só fica boa quando a noite baixa.

Finalmente o apagão chegou em Roraima. Dois dias depois. Ainda bem que foi só um minutim e que RR fica longe de tudo, até do hipercaos...

Aliás, o medo e a piada corrente aqui é que Hugo Chávez fique de bico com o Brasil e desligue a chave de nossa energia.

Se você chegou hoje no Crônicas da Fronteira, a energia de Roraima vem toda do complexo da hidroelétrica de Guri, na Venezuela.

Acho que é só. Qualquer bobagem, ando a quase toda hora no Twitter. Coisa séria, passa e-mail.

Lumita, nossa conversa continua lá nos comentários do penúltimo post.

P.S.: se você sacou o lance dos caracteres, parabéns. Caso contrário, se liga no título.

quarta-feira, novembro 11, 2009


Desocupando o tempo




Transformers 2

Gran Torino




Procura-se um amor que goste de cachorros


The Commitments




Harry Potter, a série

O último Moicano

Boa noite, boa sorte






Controle Absoluto

Sem Vestígios

Se beber, não case

Presságio

A valsa com Bashir







Bá, tava esquecendo: The Commitments, de novo.




quinta-feira, novembro 05, 2009

Índio cientista social


Daí estava eu navegando no site da Universidade Federal de Roraima, do mesmo jeito que faço periodicamente para saber o que rola na facul onde terminei duas graduações, quando vi a matéria chamando o povo para colaborar com uma revista de Ciências Sociais.





Como no final do ano passado havia mandado um artigo para a mesma e nunca mais vi meu querido ex-professor/orientador Linoberg Almeida para saber se havia sido aprovado, decidi checar quantas edições haviam sido publicadas e se por acaso eu estava no meio.


Clica aqui, clica lá, cheguei na página da revista e de lá cheguei na penúltima edição. Não consegui checar a data do lançamento, mas descobri que o bendito artigo está lá e eu não estava sabendo. Como se diz por aí, o redator é sempre o último a saber da publicação.






O artigo, elaborado a partir de uma monografia apresentada no curso de Sociologia da Universidade Federal de Roraima, apresenta a relação entre as memórias de adultos e idosos e os comportamentos sociais existentes em décadas passadas na avenida Jaime Brasil, Centro de Boa Vista, capital do Estado.

Também busca entender como a sociabilidade local foi influenciada pela expansão comercial da referida via. Os depoimentos dos entrevistados ajudam a registrar como era o cotidiano da cidade e são analisados a partir de conceitos como memória pessoal e memória coletiva, lugares e não-lugares.


As palavritas-chave são memória, espaço urbano, socialização, Boa Vista.


Acessa aqui o artigo, please, e depois, se estiver querendo, volta aqui e me diz se gostou de meu lado cientista social (ou não...)

quarta-feira, novembro 04, 2009

Dois subtítulos para um post apenas


Confecom RR

A 1ª Conferência Estadual de Comunicação  de Roraima será realizada nos dias 20 e 21 de novembro, em local ainda a definir. O tema é “Comunicação: meios para a construção de direitos e de cidadania na era digital”.

Para preparar a conferência e manter o povo informado, há reuniões semanais, releases enviados a la prensa e até um blog.






A 10ª reunião ordinária será nesta sexta-feira (6) no Plenarinho da Assembleia Legislativa, instituição que convocou a conferência em Roraima.




O encontro será às 10h. Se você mora aqui no Estado e acha que tem perfil para ajudar a montar a conferência, dá um chega lá. Não paga nada para colaborar.


A pauta é esta:

1 – Leitura, alteração e aprovação da ata anterior (30/10/2009);
2 – Informes;
3 – Apresentação dos novos membros da Comissão Organizadora;
4 – Leitura, discussão e votação do requerimento das Instituições afastadas da COE;
4 – Avaliação da Conferência Virtual de Mulheres;
5 – Realização da 1ª Conferência Livre de Boa Vista;
6 – Alteração do Regimento Interno da Confec/RR;
7 – O que houver.


Países no Crônicas


Por ordem de acesso, as nações que mais visitaram até agora este blog:

1.Brasil
2.Portugal
3.Estados Unidos
4.Uruguai
5.Venezuela
6.França
7.Peru
8.Espanha (Spain também é bonito)
9.Reino Unido
10.Argentina

Comentário 1: morando aqui do lado da Venezuela e ninguém de lá me visita como os uruguaios? Vou ter que falar mais de reggaeton, Chávez, calipso, merengue e salsa.




Comentário 2: já pensou se escrevesse em gringuês? Ia ser um estouro esses acessos dos EUA e do United Kingdom. Seriam mais eles que os brasileiros.


Comentário 3: tudo bem que não é tudo isso de acesso, mas...




Comentário 4/Pergunta 1: e tu, caro leitor e fantástica leitora, que países mais visitaram o teu blog até agora ou de onde estás chegando? Me responde...


terça-feira, novembro 03, 2009

Sagas


Estrada que te quero estrada, ou as viagens que fazemos levando arte e cultura ao Interior do Interior do Interior do Brasil. 

Para entender o que é isso, navega no blog do Coletivo Arteliteratura Caimbé.

Fora isso, nada a dizer por hoje para não dizer bobagens ou perder a pose Peace and Love.

Qualquer coisa me busca no Twitter.

quarta-feira, outubro 28, 2009

Cinema roraimense, reggaeton e viagens do Coletivo

1.    O filme do Alex Pizano é muito legal. Tirando as ratadas técnicas que toda produção independente tem (ainda mais quando a grana da produção mal chegou aos mil reais), o primeiro longa de Roraima não faz feio pra ninguém.

2.    O que mais gostei de Remanescente das Sombras foi a visão que o Alex jogou de Boa Vista, principalmente nas cenas de rua. Quem assiste já tem noção do pequeno caos que já está se formando no trânsito da menor capital do Brasil.

3.    A atuação de Bruno Garmatz como o nazista Von Deck (ou algo assim) é muito boa. Todos se admiraram, pois o Brunão é muito na dele e nunca havia feito algo parecido aqui em Roraima. Eu não fui pego de surpresa pois já sabia que o galego havia sido modelo e ator em sua distante juventude, lá pelas bandas de Matogrosso e Paraná.

4.    O Coletivo Arteliteratura Caimbé promove nesta quarta-feira uma mostra de filmes animados no município de Alto Alegre, a 89 km de Boa Vista. A atividade faz parte do DIA 2009 (Dia Internacional de Animação), realizado simultaneamente às 19h30 em quase 500 cidades pela Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA). Por lá estão os companheiros Luiz Valério e Tana Halú.

5.    Na sexta vamos os três mais dona Zanny Adairalba para uma escola na Vila União, município do Cantá, fazer oficinas de massinha e de texto. E também viver perigosas aventuras em estradas não asfaltadas, claro.

6.    Você já ouviu reggaeton? A batida é muito boa mas as letras são uma porcaria. É quem nem a maioria dos hip hops e raps que enchem a tela da MTV americana e do TVZ. O que vale é a mexida. Pois bem, o presidente Hugo Chávez vai, conforme diz a mídia, cantar reggaeton com o grupo Calle 13 num grande show que vai rolar em Caracas, capital da Venezuela. Eu já vi o programa dominical do Chávez. Garanto que daquela garganta não sai uma bela voz.

7.    Aqui em Boa Vista é comum os carros passarem por você lentamente com o som no último tocando CD’s de reggaeton baixados na net ou comprados em Santa Elena, fronteira com o Brasil.

8.    Aliás, uma coisa interessante nesses cantores de reggaeton é que todos trocam o R pela L. Acho que é para reforçar a empatia com a população mais pobre da América espanhola. Essa parcela da sociedade, principalmente, faz essa troca nas conversas cotidianas.

9.    Por conta da notícia do Chávez e do Calle 13 fui atrás de saber qual é a dos caras. Sinceramente, continuo sendo mais os velhos e bons merengue, salsa e rock-pop.

10.   Tentei, mas ainda não aprendi a, depois de achar o link no youtube, colocar o vídeo aqui no blog. Se alguém souber, me ensina ou passa um link que ensine. Se não fosse isso, teria colocado uns clipes de Calle 13.



quinta-feira, outubro 22, 2009

Nazistas na Amazônia


Domingo tem estréia de filme independente produzido em Roraima. É a segunda produção de Alex Pizano, que desta vez chega com um longa metragem abordando a história de uma gangue de criminosos nazistas em confronto com a Polícia Federal. Remanescente das Sombras será apresentado no domingo, 25 de outubro, no CineSesc Digital em duas sessões (19h e 21h30). O ingresso é um quilo de alimento não perecível que será repassado ao programa social do SESC Mesa Brasil, com censura 16 anos. Confere aí a entrevista virtual com o Alex:









Domingo você está lançando o seu segundo filme produzido de forma totalmente independente. Como surgiu o interesse pelo cinema?


ALEX - Esse interesse, que na verdade eu chamo de paixão, me acompanha desde a minha infância sempre regada a muitos filmes principalmente o gênero aventura.  E é tudo culpa da televisão. Já que eu somente ia ao cinema umas duas vezes por ano, passava muitas horas zapeando os canais atrás de sessões de filmes, filmes esses que me encantavam justamente pelo fato de ter uma infância difícil. A magia do cinema sempre foi minha válvula de escape no bom sentido da palavra. Como também sempre acompanhei a trajetória do cinema nacional, me perguntava como seria uma produção ficção a ser realizada 100% em Roraima? Com certeza seria para mim, que moro em Boa Vista há mais de 20 anos, uma grande experiência audiovisual.

Agora conta um pouco do processo de produção do curta “Dívida Sangrenta”, a tua primeira produção.

ALEX - O cinema faroeste sempre foi um dos meus gêneros favoritos, assim como os filmes de máfia. Com isso decidi sem compromisso comigo mesmo realizar uma pequena historia bebendo dentro dessas fontes de gênero que teve como principal influência os westerns-espagetti do diretor italiano Sergio Leone. Coloquei a mão na massa, ou melhor, na câmera, convidei alguns amigos e conhecidos que após verem o resultado que ficaria em um pequeno storyboard aceitaram entrar nessa empreitada comigo. Foi aí que a custo zero realizamos este divertido curta que mostra matadores de aluguel contratados pelas máfias guianenses e venezuelanas a resolverem suas disputas na capital de Roraima.

Para este segundo trabalho, como surgiu esse tema de nazistas mafiosos no meio da Amazônia?

ALEX - Após a boa receptividade de Dívida Sangrenta junto ao publico, decidi explorar ainda mais essa processo de produção independente de baixo custo. Foi aí que me veio a idéia de trabalhar um tema que muito me interessa: a segunda guerra mundial/nazismo/holocausto e a caça a criminosos de guerra que dura até os dias de hoje.  Tudo, claro, adaptado a um roteiro que tenha um enredo local, que seja viável de ser executado e que exigia pouco investimento financeiro, já que naquele momento não contávamos com nenhum.

Quantas pessoas trabalharam, entre atores e equipe técnica?

ALEX - Assim como o filme anterior, este contou com uma grande participação de amigos e conhecidos que toparam fazer parte do filme de alguma forma o de outra, seja atuando ou participando atrás das câmeras. No total a ser contabilizado nos créditos do filme somou-se mais de 90 pessoas...muito bacana


Alex, na ativa, e o ator/fotojornalista/escritor Bruno Garmatz só sentado


Quanto custou, em tempo e dinheiro, fazer o filme?

ALEX - O filme teve um valor mínimo para uma produção que tem projeção de duas horas. Falando claro em valores de mercado cinematográfico este custou uma verdadeira bagatela. Infelizmente, em se tratando de uma produção independente, o tempo foi o maior inimigo em termos de finalização, uma vez que filmávamos somente aos sábados e domingos, e isso quando conseguíamos reunir o elenco que não era pouco, já que todos tinham seus serviços, famílias, ou seja vida social, assim como eu. E lá se vão quase dois anos de produção.

Qual a melhor e a pior parte de produzir filmes?

ALEX - O melhor, sem duvida, é o prazer em realizar uma historia que será contada através de imagens, e que as pessoas que acreditam no filme abraçaram a causa de uma obra que ficará para a posteridade. O processo também tem seus lados negativos ao produzir um projeto desses, principalmente sem um orçamento. Estamos falando de um trabalho audiovisual em que quanto maior o investimento melhor o trabalho a ser entregue, tecnicamente falando claro.

Como você vai trabalhar a distribuição e a exibição? Já tem contato para mostrá-lo fora de Boa Vista?


ALEX - Tenho alguns contatos dentro e fora do estado para enviar o filme para ajudar a divulgá-lo. Porém, onde houver uma janela de exibição estaremos lá com certeza exibindo "Remanescente das Sombras"



Além de filmar, o que mais faz Alex Pizano na vida?


ALEX - Além da paixão em cinema e filmar pequenas produções, cursa faculdade de publicidade e propaganda, na qual também faz um grande intercambio de idéias para a realização de trabalhos audiovisuais. Após cinco anos dedicado a produções artísticas, atualmente se encontra opcionalmente desempregado para se dedicar a família, à área free-lance e a futuros projetos pessoais



FICHA TÉCNICA



FILME: REMANESCENTE DAS SOMBRAS

GENÊRO: POLICIAL/AÇÃO

DURAÇÃO: 120 MIN

ANO DE PRODUÇÃO: 2008/2009

PRODUÇÃO: FARLEY DOS SANTOS

ELENCO PRINCIPAL: BRUNO GAMARTZ, ORIB ZIEDSON, NANDO SOARES, LEO ANTONUCCI, LORRANE AESHA, SAMYA MOTA e TELMO JERFERSON.

CENSURA: 16 ANOS

segunda-feira, outubro 19, 2009

Se queres ser Ponto de Cultura de Roraima, corre!


Termina nesta quinta-feira (22) o prazo de inscrição para os interessados em tornar-se um ponto de cultura em Roraima.

O repasse dos recursos às 10 instituições que tiverem seus projetos selecionados será de até R$ 180mil em três anos.

Serão consideradas válidas as propostas postadas ou entregues até às 17h do último dia de inscrição. Deixe seu material no Palácio da Cultura Nenê Macaggi, Praça do Centro Cívico.

O edital inteiro está AQUI, mas os anexos devem ser pegos pessoalmente lá no Palácio. Coisa de quem não aprendeu a fazer upload de documentos em seu próprio site ou acha legal a pessoa caminhar nesse solaço que bate todo dia em Boa Vista.

Mas também...quem não pegou até hoje, não pega mais. É muito documento para providenciar.


Funarte premia outros artistas de Roraima

Legal. Além de mim, um grupo de dança e uma fotógrafa do extremo Norte serão premiados pela Funarte.

A Associação Cultural Companhia de Dança Cruviana foi uma das 47 contempladas com bolsas do Prêmio de Dança Klauss Vianna 2009. Os selecionados nas cinco regiões brasileiras vão receber entre R$ 30 mil e R$ 100 mil. O programa teve 635 inscritos.

A fotógrafa Adriana Lemos de Amorim é autora de um dos 123 projetos classificados no Prêmio Interações Estéticas 2009, iniciativa da Secretaria de Cidadania Cultural em parceria com a Fundação Nacional de Artes (Funarte/MinC).

A turma do Cruviana e a Adriana (olha aí a rima fácil) fazem parte do Fórum Permanente de Cultura de Roraima juntamente com este que lhes bloga.
Todos somos articuladores desse movimento que não tem presidência, diretoria ou chefia, apesar de muita gente pensar que sim. É uma mania de achar que para ser grupo deve ter alguém mandando...Enfim...parabéns, pessoal!



sexta-feira, outubro 16, 2009

Vamos  nessa?








Essa é a minha proposta. Topas?


....................................................................

Fora isso, a outra boa é o IX Encontro Estadual do ProLer

Se eu tivesse tempo fazia essas oficinas:

 - Escritora Alexia Linke - “Mediadores de leitura”.
-Professor Dr. Roberto Mibielli (UFRR) – “A sedução do leitor: das mil e uma noites ao computador”
-Professora Alice Dal Forno Gianluppi (SECD) – “O desafio da leitura e da escrita na fase inicial”
-Professora Mestre Ananda Machado (UFRR) – “Maloca da leitura escrita e teatro de bonecos”
-Professor Dr. Manoel Santos (UFRR) – “Dinâmicas de trabalho com tertúlias literárias dialógicas”

Quem for daqui e tiver tempo, o lance é telefonar no 2121-9704. O evento começa na quarta (21)



(Série Clipando, publicado na coluna Okia de 16 de outubro de 2009)


Vai Rolar...
 

 
@ O jornalista Edgar Borges está feliz da vida. É que a Funarte (Fundação Nacional de Artes) divulgou o resultado do edital da Bolsa Literária Funarte 2009, e ele foi um dos contemplados. Mais de 1000 projetos estavam concorrendo em todo o País. Em breve poderemos ler seu livro de microcontos. O rapaz tem um blog super bacana para quem gosta de ler coisas interessantes. É só entrar: www.edgarb.blogspot.com.
 
 

quarta-feira, outubro 14, 2009


Funarte divulga lista de contemplados com a Bolsa de Criação Literária

(
Da série Clipando. Publicado no site da Funarte em 9 de outubro de 2009)






A Fundação Nacional de Artes (Funarte) divulgou a lista dos 10 autores contemplados com a Bolsa de Criação Literária. Cada um deles receberá prêmio no valor de R$ 30 mil. Por meio desta iniciativa, a Fundação impulsiona a produção de textos literários inéditos, oferecendo a escritores de todo o país condições materiais para que possam desenvolver seus trabalhos.





Nesta terceira edição do programa, foram recebidos 1.046 projetos. A análise do material coube a uma comissão externa, composta por cinco membros de notório saber na área literária: Ângela Dionísio Paiva, Márcio Araújo de Melo, Regina Lúcia Péret Dell'Isola, Álvaro Costa e Silva Filho e Elga Ivone Perez Laborde Leite. Durante o processo seletivo, foram julgadas a originalidade do projeto, a qualidade da proposta e a metodologia do trabalho.





Em breve será anunciada uma relação de contemplados suplentes, beneficiados por um aporte extra de recursos que o Ministério da Cultura destinará à Fundação.


NOVOS RECURSOS - Em 19 de agosto, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, anunciou uma suplementação orçamentária de R$ 18,4 milhões para a Funarte. Com o novo aporte, os investimentos na Bolsa de Criação Literária subirão de R$ 346 mil para R$ 646 mil. Dessa forma, mais 10 autores brasileiros poderão ser selecionados, como suplentes, para receber a bolsa.

........

Então...ganhei um edital da Funarte.

Faz bem para a auto-estima conquistar um prêmio desses. Principalmente para mim, que estava precisando receber uma boa notícia neste segundo semestre de 2009.

Ganhar um prêmio, independente de qual fosse o valor, era uma das minhas metas para este ano. Depois de algumas participações sem êxito em festivais de música, concursos de poesia e de provimento de vagas (em busca de um salário maior), a bolsa da Funarte reergue meu orgulho índio e me estimula a continuar escrevendo micronarrativas (ou microcontos, outro nome que se dá à mesma levada literária que apresentei como proposta ao pessoal de Brasília).

Ser premiado também revalida minha decisão de abandonar o cargo de professor em uma faculdade particular para investir na redação de projetos e textos literários. Quando falava para meus amigos ser esse o principal motivo, ninguém me levava a sério, apesar de todos concordarem qualquer coisa ser melhor do que encarar muito trabalho, alunos inapetentes e remuneração abaixo de nosso anseio.

MOMENTO ENTREGA DO OSCAR

Como nunca fui de assumir sozinho os créditos de ações conjuntas, aproveito para destacar e agradecer o apoio da turma do Coletivo Arteliteratura Caimbé, responsável por dar um brilho bacana na idéia original. Valeu Zanny, Luiz e Tana pelas contribuições ao texto do projeto. Com certeza influenciaram positivamente os jurados. Vamos agora em busca de novos prêmios para o Coletivo Caimbé.


Valorizar quem ajuda e inspira é necessário. Afinal, como disse um profeta carioca, gentileza gera gentileza. Nessa batida, muchas gracias ao ator Marcelo Perez, da Cia. do Lavrado, por ter me emprestado para leitura o seu projeto premiado no ano passado com a bolsa Funarte de Dramaturgia.

Em 2008, quando assessorava a Federação de Teatro de Roraima, fiz a matéria falando da premiação e brinquei com o Marcelo dizendo que ia participar de algum edital neste ano para ganhar a mesma grana que ele. Na mesma hora o cara me estimulou a participar, fazendo elogios e tal aos meus textos neste blog e lembrando que para ser premiado é preciso jogar. Afinal, nunca se ouviu falar de ganhador da loteria que nunca jogou.



A lista de pessoas poderia se estender mais, mas vou reduzir para duas pessoas: Avery Veríssimo, que há alguns anos me apresentou a por enquanto criogenizada revista de Micronarrativas Minguante (AQUI tem matéria falando disso), e Luis Ene, editor da supracitada publicação e também o sujeito que aceitou publicar e prefaciou meu e-book Roraima Blues. Esses dois, o primeiro ao mandar o link e o segundo ao aceitar meus trabalhos, com certeza tem peso no caminho que me levou a concorrer no prêmio da Funarte.






Bom, dito tudo isso, dá licença que vou começar a escrever minhas micronarrativas para cumprir com os prazos da turma da Funarte. Inté a próxima postagem.

quinta-feira, outubro 08, 2009


Tem rock no Cantá neste final de semana


(Da série Clipando, publicado na Folha de Boa Vista em 7 de outubro de 2009)


As bandas A Coisa e Iekuana mais o cantor Raul Cover & banda Methamorphosys estarão na sede do Município do Cantá, neste sábado (10), para levar ao público do interior o melhor do velho, mas conservado, rock. O show faz parte do projeto Rock na Estrada, cuja primeira edição será realizada no ginásio do Grecec.

O som começa a rolar a partir das 21h, com entrada a R$ 5 ou R$ 3 mais um quilo de alimento. Às 18h, haverá exibição de filmes selecionados na primeira Mostra de Curtas do Sesc Roraima, entre eles “Ensaio”, do jornalista Edgar Borges. O vídeo mostra como a banda Iekuana se prepara para os shows. Para quem estará em Boa Vista e gosta de rock, vai a dica: o Cantá fica a apenas 35 km da Capital, e a estrada está com o asfalto em boas condições.

O Rock na Estrada substitui o projeto Macuxi Rock n’ Reggae, que no primeiro semestre levou A Coisa e a Iekuana a tocar em Rorainópolis, juntamente com a turma de reggae Guy-bras. O resultado financeiro não foi o esperado e os roqueiros quase desistiram da ideia de tocar em outros municípios.








Reformatado e com novo nome, o Rock na Estrada surge para divulgar os trabalhos autorais das bandas e levar uma nova proposta musical para o público dos municípios do interior.  “É uma alternativa aos outros gêneros que já tocam o tempo todo nas cidades”, conta Mr. Gal, vocalista d’A Coisa. Neste show, conta Mr. Gal, o público vai encontrar muita música boa em ritmo de rock pesado e baladas, além das músicas de Raul Seixas interpretadas pelo seu cover.

terça-feira, outubro 06, 2009

O leão sempre tem fome




Ir na Receita Federal ou na Secretaria de Fazenda Estadual é como ir a uma consulta médica: sempre descobrimos que há algo errado com a nossa saúde, seja a financeira ou a física/mental.



Por isso é que odeio ir ao médico e sempre tento pagar meus impostos em dia.



quinta-feira, outubro 01, 2009

Movimentações roqueiras


Outubro será um mês interessante para o rock autoral em Roraima. Não como data comemorativa, mas como aviso de bons shows, tanto na Capital como no Interior. Em Boa Vista, rola um movimento bacana nos dias 10 e 11, promovido pelo Coletivo Canoa Cultural. No Cantá, a uns 30 e poucos km, a turma das bandas Iekuana, A Coisa e Raul Cover e banda Metamorphosis promete agitar todas no dia 10 também. Mas sobre essa festa a gente escreve depois. O foco agora é o Canoa Cultural, representado aqui por Vinicius Tocantins, que fala sobre  o seu evento numa entrevista por e-mail.


-Te apresenta, Vinicius.
-Sou Vinicius Tocantins, músico há 10 anos (Comecei no mundo da música com 12 anos dentro da escola). Hoje sou membro da banda Somero (Voz e Guitarra). Dentro do coletivo sou responsável pelo Núcleo de Eventos.


Vinicius é esse branquinho aí em primeiro plano


-Esta é II edição do festival TomaRRock. Quais são as novidades?
- De novidade temos bandas do Norte que vão prestigiar o evento, oficinas diversificadas para a população, mostra áudiovisual, mesa de debates sobre a produção musical do norte e a nova figura do artista. Muita música e discussão sobre os interesses da cena de Roraima


- Quais bandas vão tocar?
- Serão dois dias de evento que envolverão ao todo 14 bandas. Deste número teremos bandas daqui de Roraima e também do norte do Brasil. De Boa Vista serão 8 bandas,  entre elas Mr. Jungle, Iekuana, Somero e Veludo Branco, entre outras.


- Onde será, quando será e quanto custará o ingresso para os shows?
- O Festival TomaRRock de Música e Artes Integradas acontecerá nos dias 10 e 11 de Outubro no SESC Centro. Os ingressos custarão 10 reais a inteira e 5 reais meia.


- Vai rolar oficina?
- Vai sim, vamos ter 5 oficinas que serão ofertadas de graça para o público em parcerias. Que é um dos nossos diferenciais, um festival não só com apresentação de palco, mas sim uma manifestação artística e capacitação para a comunidade. Abaixo, as oficinas:
- Expressão Corporal - Marcio Sergino
- Fotografia - Tana Halú
- Massinha - Tana Halú
- Cartoon - Marden
- Stencil Arte - Saulo e Floco


- Quem faz parte hoje do Coletivo Canoa Cultural?
- Hoje fazem parte pessoas que tem interesse na cultura e na gestão de projetos voltados à arte e projetos sociais.

- Aliás, antes de ser Canoa Cultural, era Tomarrock. Qual foi o motivo e objetivo de mudar de nome?
- A mudança de nome foi estratégica. Antes éramos vistos como pessoas que tinham bandas de rock e faziam alguns eventos. Com a mudança para Canoa Cultural passamos a ser gestores culturais e ampliamos nosso campo de trabalho para além dos eventos, como por ex: audiovisual, web-rádio, design, palestras, oficinas, fotografia e etc. A idéia para o planejamento de 2010 é que comecemos a trabalhar com artistas que não são obrigatoriamente do segmento rock.

- Além do festival, quais os outros eventos já consolidados no calendário do Canoa?
- Temos 5 grandes projetos anuais:
Grito Rock: O maior festival da América do Sul, que ano passado contemplou mais de 40 cidade da América do Sul e Roraima participou com a sua 2ª edição.
Canoa na estrada: Projeto que leva pro interior do estado de Roraima apresentações musicas, debate, loja de produtos e Oficinas.
Canoa vai à escola: Projeto focado para as escolas de Boa Vista que tem como objetivo mostrar a importância do ensino de música nas escolas com apresentações músicais e discussões sobre o cidadão de hoje.
Festival TomaRRock de Música e Artes integradas: Festival que une apresentações de bandas do norte do país com debates, oficinas e Mostra de Curtas.
Canoa na Praça: apresentações nas praças de Boa Vista com o intuito de levar entretenimento à comunidade local.

- Se alguém quiser mais informações sobre o festival, vai onde?
- As informações estão saindo do forno no nosso twitter.  É só ir lá e acessar twitter.com/canoacultural, ou no site do Canoa (Ainda em transição tomarrock/canoa): www.tomarrock.com.

terça-feira, setembro 29, 2009

Notícias culturais do extremo Norte e uma outra nacional



Prefeitura de Boa Vista contrata atores



A Prefeitura de Boa Vista vai contratar um grupo teatral para fortalecer e ampliar os trabalhos do Programa Municipal de DST/AIDS.  Interessado no pregão eletrônico? AQUI você tem um atalho direto para o edital.

As propostas devem ser apresentadas até as 7h30 do dia 13 de outubro. O contrato terá duração de 10 meses. A intenção é que a linguagem teatral ajude a reduzir o número de casos de AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis no município, principalmente na terceira idade.



Conferência Municipal de Cultura de Boa Vista já tem data


Nos dias 20 e 21 de outubro será realizada a primeira Conferência Municipal de Cultura. Produtores, gestores, artistas, sociedade civil, representantes de movimentos sociais e todas as demais pessoas interessadas na área podem aprochegar-se no Palácio da Cultura Nennê Macaggi, Centro da Capital. Os trabalhos serão desenvolvidos a partir do tema Cultura, diversidade, cidadania e desenvolvimento.


As pré-conferências municipais de cultura de Boa Vista já estão agendadas. No dia 7 de outubro será realizada no Cine Sesc Mecejana, das 14h às 18h, a discussão dos eixos “produção simbólica e diversidade cultural” e “cultura, cidade e cidadania”.

No dia 13, também à tarde, gestores, produtores, artistas e outros interessados estarão no Palácio da Cultura para debater os eixos “cultura e desenvolvimento sustentável”, “cultura e economia criativa” e “gestão e institucionalidade da cultura”.

Quer saber mais? Vai no blog da Conferência.


E as do interior também

Então...a galera do Interior tá de olho nos benefícios que realizar a conferência pode trazer e já agendou suas datas. Para saber que dias os demais 14 municípios de Roraima vão realizar suas discussões, dá um pulo no blog do Fórum Permanente de Cultura de Roraima.



Ministério da Cultura seleciona periódicos culturais



Foi lançado no dia 24 de setembro o edital Periódicos de Conteúdo Mais Cultura. A proposta do Ministério da Cultura é selecionar quatro publicações para aquisição de sete mil assinaturas por periódico, com investimento de R$ 2,1 milhões. As publicações serão distribuídas para bibliotecas públicas, Pontos de Leitura, Pontos de Cultura e outros equipamentos e espaços culturais.

A ação é uma iniciativa Programa Mais Cultura para estimular o gosto pela leitura. Se inteira mais lendo esse material aqui, ô.

terça-feira, setembro 22, 2009

Sei...


Dia sem carro? Como disse no meu twitter, sorry. Muito quente minha cidade, muito defeito no sistema de transporte coletivo, muito emprego para onde ir. Sendo assim, assumo como meu o cinismo que me impregna e digo: prefiro plantar árvores no começo da manhã ou no final da tarde.





Elas que digiram o CO2 que jogo no ar. Quanto a mim, imaginem-me escondido debaixo dessas folhas, feito um pobre índio sem buritizeiros para cortar e fazer o telhado de seu tapiri.